domingo, 28 de agosto de 2011

A Caridade segundo São Pedro Julião Eymard




“Amai muito a Nosso Senhor, que é tão pouco amado, pois são raras as almas que se dão inteiramente a Ele” São Pedro Julião Eymard.

Deus, em verdade, nos ama! Ama-nos com um Amor Eterno, que manifestou pelos benefícios do tempo, ama sem princípio, sem fim, sem vicissitudes. “Só existimos em virtude de uma criação benevolente desse Amor Divino e só nos conservaremos devido a possuirmos Deus e estarmos em seus Braços.” Santo Eymard.

Ele quer levar o amor ao infinito e por isso, ama-nos pessoalmente, particularmente, como se estivéssemos sós no mundo. E por ser tão sublime esse amor, deu-nos seu Filho, enviando ao mundo, para que por meio de sua Cruz fossemos salvos, e por meio da Eucaristia, aprendêssemos a amar. “Jesus Cristo não podendo permanecer sempre sobre a Cruz de morte, permanece sobre a Cruz de amor” Santo Eymard.

Esta vida, porém, foi-nos dada para unicamente amá-Lo, e nisto consiste a perfeição do homem. Sendo que há, por parte de Nosso Senhor tanta condescendência em querer ser amado por nós, em conceder-nos a faculdade e a Graça de amá-lo, quanto em nos amar Ele mesmo, cumular com testemunhos de seu Amor, devemos ir ao encontro em todas as fontes, especialmente na Eucaristia. “A Eucaristia é o maior prodígio do amor e do poder de Jesus Cristo em favor dos homens.” Santo Eymard.

O amor eucarístico é o amor infuso da caridade, sobrenatural no seu princípio; em seu objeto, escreve Santo Eymard, é a caridade que “alcança Deus, para Nele permanecer, certa amizade do homem para com Deus.”

Como cristãos, devemos focar nossa busca de amor na Santíssima Eucaristia, pois foi para isso que Cristo a instituiu, para ser fonte onde amaná toda a caridade, fazendo com que nós depositemos aos seus pés toda a adoração e glorificação, àquele que é o Deus de Amor, basta a nossa vontade, pois Ele ai está, em seu sacramento, esperando, aguardando um ato de se sentir amado. “Jesus na Eucaristia se torna meu centro de amor; o amor precisa de um centro de descanso onde se fortifica, se alimenta, se inflama sempre mais. Para mim, este centro só existe na Eucaristia.” Santo Eymard.

Ele certamente ama-nos apaixonadamente, e alheio a si mesmo, dedica-se todo a nós. Urge retribuir-lhe o amor. Amai dedicando-lhe a vida, consagrando vossos pensamentos e trabalho, estando aos seus pés, nutrindo a verdade do Amor que Nosso Senhor nela testemunha, contemplando sua presença, fazendo-se conhecer a cada adoração o seu amor por nós. “Só se ama bem, o que se conhece bem.” Santo Eymard.

Cabe-nos retribuir com amor, a tantas graças e bênçãos derramadas sobre nós, àquelas que pedimos, aquelas que não e mesmo aquelas que não desejamos. “E Ele continua a operar em virtude de sua presença no Santíssimo Sacramento, maravilhas de caridade.” Santo Eymard.

Enamoremos de sua presença, entregando o nosso coração para se unir a Ele, fazendo dos dois corações um só, permanecendo nele e Ele em nós, um só com Ele, até consumir-se no céu, na união eterna e gloriosa, a união inefável, começada na terra e aperfeiçoada pela Eucaristia. “Aquele que ama, se doa sem medida à pessoa amada, a serve e se torna uma só coisa.” Santo Eymard.

Nosso amor deve viver, pois, em Jesus Eucarístico, compartilhando de todos os seus bens, unindo-se e assim satisfazendo as exigências de nosso coração que O deseja.

Mas como chegar a tal ponto de amor? São Pedro Julião Eymard responde: “Doando toda a vida, todo o amor a Ele. Como? O amor não se dá se não por meio do Amor. De que modo então se ama? O amor não conhece nem métodos, nem limites, ama-se amando.”


Ir. Sérgio Rocha