quinta-feira, 5 de abril de 2012

Instituição da Eucaristia, sacedórcio e mandamento do amo

Hoje é uma noite de despedida, o pai mandou o filho do céu e Jesus veio para o meio de nós. Ele escolheu seus apóstolos. Deus estava no céu, ninguém podia se aproximar d'Ele e Ele veio até nós. Jesus durante 3 anos convive com os apóstolos, os instrui, faz milagres. Eles vão percebendo naquele homem, uma pessoa diferente. E agora Ele vai se separar. Jesus está com saudade e quer retornar a casa do Pai.

Quando temos saudades, e vamos viajar, a vontade do nosso coração é de permanecer, é assim que Jesus estava naquela noite, com o coração entristecido pela saudade.

Jesus já sabia que Judas tinha combinado de O entregar, é uma noite de traição, de saudade, de despedida, a última refeição. Durante a ceia, Jesus disse que desejava fazer essa ceia. E antes de iniciar a refeição, Ele se levanta, amarra uma toalha em sua cintura, pega uma bacia com água. Os discípulos se indagam o que era aquilo, e Jesus começava a lavar os pés de cada um. Pedro se recusa, não deixa que o Mestre lave seus pés, pois somente um escravo lavava os pés do seu senhor. E Jesus explica que se Ele não o lavar, não teria parte com Ele. Então Pedro pede para que o lave por inteiro.

Bento explica que na hora que Jesus se abaixa para lavar os pés, Jesus faz a purificação, pois estão todos sujos, cheios de pecados. E para comer a refeição precisa de limpeza. Deus desce do céu e se abaixa para lavar os seus pecados. Deixe Jesus te lavar. Quando um adulto é batizado, naquele momento todos os pecados dele são apagados, se ele morrer, vai direto para o céu.

Depois que Jesus lava os pés deles, Jesus senta novamente e agora acontece o que Paulo diz em suas cartas aos Coríntios: “Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: “Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória”. Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança, em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória”. (I Cor 11,23b-25)

Assim Jesus institui a Eucaristia, a primeira missa. E onde entra o padre? Na carta aos coríntios Ele diz: “fazei isto em minha memória”. Quando Jesus ressuscita, o Espírito Santo desce e eles começam a fazer isso em memória de Cristo, começando de Pedro até chegar hoje em Bento XVI. Eu desde 1997, todos os dias: “Isto é meu Corpo. Isto é meu Sangue”.

Vocês não podem ficar sem a Eucaristia, ela traz salvação. Se alimente de outras coisas sim, o alimento é para esta vida, mas o Corpo de Cristo é para vida eterna. Se quiser entrar na vida eterna, todos os domingos, se possível todos os dias se alimente da Eucaristia.

Mas primeiro tem que se lavar, confessar os seus pecados para estar limpo para comer. “Fazei isto em minha memória”, em memória da minha encarnação, em memória da minha morte, da minha ressurreição ao terceiro dia, da minha segunda vinda, do meu amor por vocês.

O evangelho começa assim: “Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.”

Só o sacerdote pode trazer Jesus para Terra, mesmo que seu pároco não saiba pregar, só ele pode trazer Jesus na sua paróquia, mais ninguém. Ame! Ame o padre que você tem, só ele pode trazer Jesus.

Você pode dizer que mundo está ruim, mas estaria pior se não tivesse padre. Nessa noite você pode dizer: que noite maravilhosa, meu Deus!

Transcrição e adaptação:Regiane Calixto

Nenhum comentário:

Postar um comentário