sexta-feira, 13 de julho de 2012

A EXTENSÃO DA ENCARNAÇÃO

Verbum caro factum est
 "O Verbo se fez carne." (Jo., 1, 14.)


A encarnação do Verbo no seio de Maria nos anuncia a Eucaristia. Este sol de almas, que há de vivificar e regenerá-las, se levanta em Nazaré e chega ao meio dia na Eucaristia, que será o término do amor de Deus na terra. O grão de trigo divino foi semeado nas castas entranhas de Maria. Germinará e amadurecerá e será moído, para que com ele seja feito o pão eucarístico. A encarnação é tão uma com a Eucaristia, que as palavras de São João poderiam ser traduzidas assim: O Verbo se fez pão: Verbum caro, Verbum Panis. Todas as circunstâncias do mistério da encarnação foram gloriosas para Maria; tudo é também glorioso para nós na Comunhão, que nos faz participar da honra e da glória da Santíssima Virgem.


O prólogo do mistério da Encarnação teve lugar entre o anjo e a Virgem Santíssima. O anjo anuncia o mistério e pede o consentimento de Maria.


O anjo que nos chama à Comunhão é o Sacerdote, é a Igreja mediante seu veículo: o sacerdote. Que honra para nós! A Igreja é a rainha e os anjos a servem; é esposa, e por isso não somente anuncia, como também nos da o Verbo sacramentado. Maria acreditou naquilo que o anjo dizia, em vista do prodígio que lhe anunciava. Quanto a nós, podemos crer na Igreja sob a sua palavra. Ela é nossa mãe e nós filhos seus, e ninguém diz à mãe: Isto é pão realmente? Não está me dando uma pedra em lugar de pão? A Igreja fala, e acreditamos na sua palavra. Claro, que assim como o anjo, bem poderia dar provas de sua missão.

O anuncio da Comunhão é, pois, glorioso para nós, tal como a Encarnação foi para Maria.

São Pedro Julião Eymard

Nenhum comentário:

Postar um comentário