segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

50 anos de Canonização


1962- 09-XII -2012
50 ANOS da Canonização de São Pedro Julião Eymard

Carisma Eymardiano : Escola de Santidade
  Neste ano temos a alegria de comemorar os cinquenta anos da canonização de São Pedro Julião Eymard, o apóstolo da Eucaristia , canonizado como todos sabem em 09 de dezembro de 1962,  por Sua Santidade o Beato João XXIII .Como servos e servas do Ssmo. Sacramento, também devemos buscar a santidade como Ele buscou, via o serviço eucarístico, a perfeição evangélica para servir melhor e mais dignamente a Nosso Senhor no seu Augusto Sacramento: “Para o digno serviço do sumo Rei, por meio do qual são associados aos coros angélicos , seria conveniente, antes de justiça, que os mesmos adoradores fossem ornados com as virtudes de todos os santos” (nº137  da Constituições da SSE)
   E apresento neste pobre opúsculo a vida resumida de um religioso eucarístico que se santificou pelo carisma de Santo Eymard ou seja a Igreja como Mãe e Mestra só aprova um carisma entre tantos critérios, se este carisma é capaz de levar a santidade os membros de uma congregação, deste ponto é que nasce o título deste trabalho:
 “Carisma Eymardiano: Escola de Santidade” ,vos apresento  humildemente: 


Servo de Deus Fra. Giovanni Nadiani
(1885-1940)

  
   Fra. Nadiani nasceu 20 de fevereiro de 1885, em St. Maria Nuova, no município de Bertinoro,  Diocese de Cesena; filho de Hércules Nadiani e Anuncia Piazzi, recebeu o santo batismo no mesmo dia em que nasceu, na igreja paroquial pelo pároco Don Lazzaro Ceredi, deram-lhe o nome de Giovanni Antonio Gaspar Nadiani
  
   Quando o bebê Giovanni, tinha  três anos, sua mãe morre, seu  pai  se casa com sua cunhada Lúcia que  morre depois de dois anos;  e novamente o pai se casa com Giannina Ruffilli. Três mães santas que  educaram  profundamente  Giovanni  na vida de piedade.
  
   Seu apelido em  S. Maria Nuova era  Vanitti, era  conhecido quando criança como modelo  gentil e generoso, privado e alegre, cheio de iniciativas entre os companheiros e disponível para as ordens de seu pai, diligente na escola e muito piedoso na paróquia. Fez sua primeira comunhão em 08 de junho de 1892 , recebeu a crisma 16 de outubro  de 1896  pelo Cardeal Sebastiano Galeati.
   Ingressou no seminário de Cesena em 1898, onde se destacou por seus dotes musicais e por sua amizade para com todos e sua diligência nos estudos ;sua vida como  seminarista terminou em  02 de julho de 1902, quando ele deixou o Seminário de Cesena  sofrendo  muito por isso.
  
   De 19O2 a 19O7 ,o jovem Vanitti, volta  para sua casa e ajuda seu pai no comércio que ele possuía, sempre com sua conduta exemplar de varão católico com uma vida de penitência e oração , não desistindo do propósito de consagrar sua vida a Deus ;queria aprender alemão e francês para ser missionário, mas acaba indo para Suíça onde trabalha numa fábrica de chocolates . Em 1905 volta a Itália para o serviço militar aonde é dispensado no final do mesmo ano. Regressa a Suíça novamente em 1907 vai para Roma trabalhar como balconista em uma taberna dos parentes de sua mãe 
  
   Aqui começa uma busca através de várias igrejas, onde  poderia  realizar seu plano de consagração a Cristo. No centro histórico de Roma, próximo da Piazza Colonna, ele viu uma das muitas igrejas da capital. Um dia ele entrou na penumbra, ele viu um grande manto branco de arminho, e no meio, como um trono de Jesus ,a Eucaristia exposta em uma custódia em um globo, símbolo do mundo dominado por Cristo. Ao pé  dois padres com sobrepelizes  brancas,  Giovanni também se ajoelha para adorar. E tantas pessoas chegando, adorando por alguns minutos ou por um longo tempo e saindo.
  
   Lá, de joelhos, ele encontrou-se ,e exclamou: "Eu quero ser um padre adorador!”. Ele ficou lá por três horas , em seguida,  passou para a sacristia e queria falar imediatamente com os Padres   Sacramentinos da igreja de S. Claudio.  Falou com o Revmo. Pe. Jarlan , francês membro do conselho geral, que compreendeu o sincero desejo de doação do jovem. Ele prometeu, no entanto, a aceitar com uma condição: que iria deixar de lado a idéia de tornar-se sacerdote, pois tinha já idade adulta e Nadiani concorda em permanecer como irmão leigo. Em 6 de junho de 1907 , Giovanni Nadiani apresenta o pedido escrito ao Superior Geral, apesar da oposição de seu pai, que o queria em seu comércio.
                                               
                                                   



   Entrou para a Congregação dos Padres do Santíssimo Sacramento, na casa de Turim, em 02 de julho do mesmo ano. Foi recebido por  Pe. Carlo Maria Poletti, que, então, guiaria ele  com sabedoria espiritual verdadeira. Em 14 de novembro 1907, entrou no noviciado de Castelvecchio di Moncalieri
  
   No início de outubro 1931 Fra Giovanni Nadiani  foi transferido permanentemente para Ponteranica . Seu primeiro superior o Revmo. Pe. Lodovico Longari  designa  ele para cuidar da enfermaria da Comunidade. Ele não possuía diploma, mas sim  uma boa prática lendo várias  revistas médicas e livros de enfermagem. Mas o que o caracterizava era sua gentileza e bondade para todos os males. Um de seus irmãos recorda: “Por ocasião da academia anual, que contou com a presença do Bispo de Bérgamo, D. Marelli, eu estava doente e triste, e Fra Giovanni, durante o tempo da academia me fez companhia”. E eu lhe disse: "Vá para a academia, também," ele disse carinhosamente: "Minha academia é aqui."
     
   Fra Nadiani nos últimos anos  começou a  sentir uma dor no estômago , os médicos examinando-o descobriram  uma úlcera, que acabou resultando em um tumor ; Então Giovanni  continuava   a desempenhar suas atividades regulares mesmo com dores intensas com grande sacrifício. Quando a dor se tornou pior nos últimos meses, ele escreveu em seu diário apenas uma palavra: “ Mãe” (fazendo referencia a Nossa Senhora das Dores no qual tinha grande devoção)
    
   Em 9 de setembro de 1939,  suas dores tornaram se insuportáveis,o diagnóstico é de que a úlcera piorou. "Deo gratias", é a resposta. Mas o mal continua e em 22 de dezembro,  foi internado no Hospital Maior em Bérgamo. Escreveu sua última carta para o Revmo. Pe. Missaglia no qual se expressa sua espiritualidade profunda, a onde destacamos “...ajude-me Vossa Revma. Querido Pai para que quando seja operado possa celebrar minha missa cruenta de verdadeiro sacramentino ,desejando livremente e com alegria que Jesus-Vítima complete em seu indigno servo sua paixão e assim me resgate dos meus pecados. A doce Mãe celestial certamente me acompanhará”  A operação seria realizada em  30 de dezembro, mas não se teria  mais nada a fazer, pois a úlcera era cancerígena e estava  em estado  avançado.

   O Servo de Deus adormeceu no Senhor na manhã de 06 de janeiro de 1940; sendo que o capelão teve que interromper a missa que celebrava pra administrar  a Unção dos Enfermos, assim Fra Nadiani  concluiu sua missa cruenta, assistida por um sacerdote, que depois terminou de celebrar a missa, o sacrifício de Cristo.

   O carisma eymardiano é escola de santidade verdadeiramente , pois como vemos Fra Nadiani se santificou por ele e inúmeras outras centenas de religiosos e servas do Ssmo. Sacramento se santificaram com certeza por ele, e que comtemplaremos com a graça de Deus na liturgia celeste sem contar os exemplos concretos que tivemos em nosso meio. Por isso edificados com os exemplos destes  “religiosos de fogo” , também nós lutemos por isso, para incendiarmos este mundo que esta na sombra do pecado e num deserto espiritual como afirma o papa na homilia da missa de abertura do ano da fé, com as chamas do fogo do amor eucarístico.





Adveniat Regnum tuum Eucharisticum