sexta-feira, 11 de janeiro de 2013


A IDEOLOGIA DO GÊNERO DESTRÓI A FAMÍLIA




Queridos Irmão e Irmãs:
Em que consiste a ideologia do gênero, da qual ouvimos falar continuamente? O Papa Bento XVI acaba de referir-se a ela, com tons suaves más profundamente alarmantes. A ideologia do gênero destrói a família, rompe todo laço do homem com Deus através de sua própria natureza, coloca o homem acima de Deus, e então Deus já não é necessário para nada, temos que dispensa-lo, porque Deus é um obstáculo para a liberdade do homem.
A ideologia do gênero é uma filosofia, segundo a qual, “o sexo já não e um dom original da natureza, que o homem deve aceitar e preencher pessoalmente de sentido, más um papel social da qual se decide autonomamente, enquanto que até agora era a sociedade que decidia” P. Bento XVI. A frase emblemática de Simone de Beauvoir (1908-1986), companheira de Jean Paul Sartre: “Mulher não nasce, más se torna”, expressa que o sexo é aquilo que um decide ser. Já não valeria os ultra-som que detecta o sexo da pessoa antes de nascer. Esperamos um bebê. É menino ou menina? O ultra-som nos diz claramente que é menina. Não. O que vale é o que a pessoa decide. Se quero ser homem, pode ser, ainda que tenha nascido mulher. E se queres ser mulher, pode ser, ainda que tenha nascido homem. Não se nasce, se faz. A serviço desta ideologia existem uma série de programas formativos, médicos, escolares, etc. que tratam de fazer “engolir” esta ideologia a todo o mundo, causando um mal tremendo na consciência das crianças, adolescentes e jovens.
A ideologia do gênero não respeita em nada a própria natureza na qual Deus inscreveu os seus passos: sou homem, sou mulher, por natureza. O aceito e vivo alegremente e com gratidão ao Criador. Não relacionar com a natureza, e portanto com Deus, minha identidade sexual é uma escravidão da qual a pessoa tem que libertar-se, segundo esta ideologia equivocada. Daqui vem um certo feminismo radical, que rompe com Deus e com a própria natureza, tal como Deus fez. Um feminismo que vai se estendendo implacavelmente, inclusive nas escolas. A Igreja Católica é odiada pelos promotores da ideologia do gênero, precisamente porque se opõe fortemente a isto. “Contudo, se não existe a dualidade do homem e da mulher como dons da criação, então nem existe a família como realidade preestabelecida pela criação” (P. Bento XVI).
E, no entanto, uma das realidades más bonitas da vida é a família. A família segundo sua estrutura original, onde existe um pai e uma mãe, porque existe um homem e uma mulher, iguais em dignidade, distintos e complementar. Onde tem filhos que nascem do abraço amoroso dos pais. A abertura a vida prolonga o amor dos pais nos filhos. Onde tem irmão, avôs, tios e primos, etc. Que bonita é a família, tal como Deus tem pensado! Deus quer o bem do homem, e por isso criou a família. Ainda que a ideologia de gênero tenta destruí-la, a força da natureza e da graça é mais forte que a força do mal e da morte. A família necessita da ajuda de Cristo, pois Herodes segue vivo, e não só mata inocentes no seio materno, más tenta deformar nossas crianças, adolescentes e jovens com esta ideologia, querendo faze-los ver que existe “outro” tipo de família.
O Filho de Deus nasceu e viveu em uma família e santificou os laços da família. A festa da Sagrada Família de Nazaré no contexto da Natividade é uma preciosa ocasião para dar graças a Deus por nossas respectivas famílias, que é o berço onde nascemos e onde crescemos e nos sentimos amados. É ocasião para pedir pelas famílias que atravessam dificuldades, para dar uma mão a que tenho perto e cujas necessidades não são somente materiais, mas as vezes de sofrimentos por conflitos de todo tipo. A festa da Sagrada Família de Nazaré, composta por Jesus, Maria e José é uma oportunidade para reafirmar que somente na família, tal como Deus á instituiu, encontra o homem seu pleno desenvolvimento pessoal e, por tanto, a felicidade de seu coração.
Na família está o futuro da humanidade. Porem na família que responde ao plano de Deus.
+Dom Demétrio Fernandes
Bispo de Córdoba – Espanha
(Trad.: Pe Delsi Zamboni, SSE)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário